quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Les arts de la table

Que a França é o país da gastronomia todo mundo sabe... Mas aqui seguem algumas dicas para melhor aproveitar esses momentos à mesa:

Antes mesmo de entrar em um restaurante já podemos nos informar em relação aos preços e ao tipo de pratos servidos, pois tudo está afichado  na porta, parede ou cartazes. Ao entrar, se são duas pessoas, serão direcionados a uma mesa de 2 lugares, nada mais, bem apertadinho. Então melhor não levar sacolas e objetos volumosos, pois não é de bom tom ocupar uma cadeira para colocar os objetos!!!

Na hora de fazer o pedido é bom ter em mente que um garçon bem treinado só vai vir à mesa para anotar os pedidos quando o cardápio estiver fechado sobre a mesa. Ele entende que se o cliente está com o cardápio aberto, é porque ainda não escolheu, então geralmente ele não vai vir atrapalhar (a não ser um garçon meio mal-educado ou apressado, como em restaurantes turísticos).

As palavras em francês podem causar um certo desconforto para quem não domina o idioma, mas saibam que mesmo quem é daqui pode não entender o cardápio e pedir (educadamente, sempre) explicações. Eh que aqui a arte da gastronomia pede que até mesmo os pratos sejam descritos de forma a suscitar a curiosidade (e apetite) do cliente. Na dúvida, podem perguntar tranquilamente!!! Muitas vezes o prato também não especifica o acompanhamento, mas ele sempre está incluído. Quando não está claro, sempre pergunto "é servido com qual acompanhamento?" Geralmente vai ser com batatas (pomme de terre) ou vagem (haricots verts), mas existem uma infinidade de variações. Geralmente também é possível pedir para trocar o acompanhamento. Meu marido não come legumes nem saladas, então ele sempre pede para trocar quando o prato é servido desta forma, e nunca aumentou a nota, mas claro que tem que ser algo que esteja no cardápio e com um preço igual ou inferior.

Então, o que pedir? Seguem aqui algumas definições para ajudar no momento da escolha:

Gambas - fiquem calmos, na França não se come "gambá" (o que em francês seria "putois"), mas quando você encontrar essa palavra no menu, trata-se de um tipo de camarão maiorzinho. Camarão vocês vão encontrar como "crevettes".

Boeuf - carne de gado. Mas atenção, pois muitas vezes está apenas escrito o corte da carne, mas essas são sempre de gado: entrecôte, bavette, tournedos, rumsteck. Ao pedir carne de gado geralmente o garçon vai perguntar qual o tipo de cozimento (quelle cuisson?). Saibam que geralmente francês come a carne quase crua. Eu que não gostava de carne sangrando sempre pedia "bien cuite, s'il vous plaît". Agora peço "à point". Exemplos de cuissons: trés cuite, bien cuite, à point, saignante, bleue.

Pièce du boucher - tradução literal "peça do açougueiro", o que resume uma carne de gado.

Canard - nosso amigo pato, tão apreciado pelos franceses. Geralmente vamos encontrar duas partes de pato nos restaurantes: confit de canard (coxa de pato) e magret de canard (peito de pato, que muitas vezes é cortado em fatias). O magret de canard é geralmente servido mal passado, então, se como eu você prefere bem passado, melhor especificar (bien cuit, s'il vous plaît)

Agneau - carneiro. Souris d'agneau é um corte de carneiro e um prato muito apreciado. Para quem conhece um pouco de francês, cuidado para não se confundir com a souris, ou seja, o camundongo!!! Aqui não se come camundongo não!

Veau - bebê da vaca. Uma carne bem macia.

Porc - porco, nem precisaria de tradução! Detalhe: se você encontrar filet mignon no cardápio, trata-se geralmente de um corte de carne de porco! Eu adoro, é uma das partes mais nobres do porquinho. Jambon mesmo sendo presunto, é um corte de carne de porco também.

Poisson - peixe. O problema é que geralmente não está escrito "poisson" no menu, mas sim o nome do peixe! Aí é que complica!!! Eu não sei ainda diferenciar todos os tipos de peixes... Alguns tipos: cabillaud, saumon, hareng, sole, morue, raie, truite, bar, dorade, mérou, lotte, turbot. Adoro todos!!!

Poulet - frango. Galinha se diz poule, mas acho que nunca vi usarem essa palavra para se referir à carne (apenas ao animal). mas o que vocês podem encontrar no menu é coq, que significa galo. Eu sou fã do coq au vin, ou seja, galo cozido no vinho (tinto).

Volaille - ave.

Homard (lagostin) e langouste (lagosta), geralmente pratos bem caros e requintados por aqui!

Saint-Jacques - é um molusco bem bonitinho que vive na sua linda concha (aquela que é o símbolo dos peregrinos de Santiago de Compostela). Prato muito apreciado e relativamente caro e sofisticado. Uma delícia!

Tartare - significa que o modo de preparação é cru!!! eca!!! Detesto tartare de boeuf (carne moída crua). Mas podemos encontrar tartare de tudo!!!

Carpaccio - vem do italiano, então talvez muita gente conheça. Geralmente refere-se a carne (gado) cortada de forma extremamente fina e CRUA! Mas podemos encontrar carpaccio de qualquer coisa, mas o princício é o mesmo: cru e cortado bem fino.

Meus Inimigos:
Ris (não consegui encontrar a tradução, mas é encontrado no bezerro, trata-se de uma glândula que serve para digerir o leite e desaparece na idade adulta), Rognons (rins) e  andouillette (um tipo de salsicha preparada com miúdos e carnes menos nobres). Eu fujo de todos os abats, ou seja, miúdos.





O relato foi breve (em comparação com séculos de gastronomia), mas o objetivo é mostrar que a culinária francesa pode agradar a todos os apetites (e bolsos).

18 comentários:

Angela disse...

Quanta comida linda, Milena!! A última vez que eu e minha família fomos à Paris, minha filha fez questao de fazer os pedidos para o garçon, pois ela tinha acabado de tirar o diploma do nível B2 e estava toda feliz de poder entender tudo. Adorei demais seu post e já anotei suas dicas. Vou à Paris em abril!! Beijos querida amiga e um ótimo dia!!!

Denilson Melo disse...

Milena, adorei as explicações. em nossa passagem em Paris, Karla e eu, tivemos dificuldades. apesar de minha sensibilidade à lingua francesa, temi entrar num restaurant tipico francês, face a estas 'particularidades'....matamos nossa fome de comida 'normal' a brasileiros, num chinesinho, no boulevar garibalde.... c´est la vie!!!

Mulher de Fases disse...

Que dicas preciosas!!!!
Quando estivemos em Paris, confesso que tivemos um pouco de dificuldade para compreender o cardápio, mas depois dessa explicacão nesse post! Tudo pareceu tão simples!

A comida francesa é mesmo muito requintada. Isso eu não posso negar.

Lu disse...

Obrigada, aprendi mais um pouco hehe

Rosely disse...

Que delicia de post! òtimas fotos e um bom aprendizado do vocabulaire da gastronomia francesa!
.................
Quem sabe um post sobre beleza e vocabulaire básico sobre o assunto? Beijocas e até

Jorge Fortunato disse...

Milena
Este post ajuda muito. Eu sempre anoto uns nomes, nem semrpe lembro e deixo na agenda.
Engraçado que um dia um garçon ficou imitando um carneiro...até eu advinhar. Achei muito sipático, mas nao foi em Paris, claro, foi em Lyon, onde a galera tem mais humor.

Jorge Fortunato disse...

Em tempo: andouillette é uma especialidade da cozinha lionesa. Lá é um luxo.

Mônica disse...

Oi Milena!
Eu adoro a cozinha francesa, acho sofisticada que agrada aos olhos e ao paladar!
Super legal essas suas dicas, pois realmente ao olhar um cardápio a gente fica perdida pensando que esse povo é doido por servir "gamba" em um restaurante chique...hahhaaha!
Nessa hora ter um pouco de conhecimentos da língua ajuda muito, e essa sua lista está ótima!
No meu caso fico bem tranquila pq o marido fala francês, entao eu nao me estresso com nada e nao corro o risco de levar ou comer gato, por lebre né!
Beijos querida e um ótimo início de semana pra ti!
Mônica

Aline disse...

Que delícia!

Minha chefa é francesa e me disse que nos restaurantes todo mundo conversa com tom de voz baixo.... é mesmo?

:)

Milena Fischborn Costa disse...

Angela, parabéns à sua filha pelo bom nível em francês!!! Nada mal poder contar com essa ajudinha preciosa, não?

Rosely, a sua dica está anotadinha e estou trabalhando no tópico!!!

Aline, em restaurantes mais "chiques" já reparei sim que todo mundo fala baixinho, o ambiente é tão calmo que eu acabo falando sussurrando!!! Mas em restaurantes informais encontramos sim pessoas e grupos que falam alto, riem, etc...

Milena Fischborn Costa disse...

Obrigada por todos os comentários! Valu trocar essas experiências com vocês!!!

Lu disse...

Vou te contar q uma amiga minha, qndo estavamos em Paris, viu escrito num resto "Gelletes, X euros" e ficou louca querendo entrar, achando q era galeto kkkkkk

Ana Paula Gervason disse...

Nossa amei esse post...muitas dicas legais!
Ficava perdida com o cardápio em Paris...rsrsrsr
Vou colocar o seu blog na lista dos meus favoritos.

Bjss

http://toutlamour.blogspot.com

Vivi aninha: disse...

amada isso é real?! só queria unzinhooooo... heheh
já te sigo. se me seguir ficarei. seu blog é um amor... feliz.
Besos, besos.
http://vivi-aninha.blogspot.com

Milena Fischborn Costa disse...

Lu, esses falsos amigos atrapalham mesmo!!!

Milena Fischborn Costa disse...

Ana Paula e Vivi, obrigada pelos comentários! Adorei o blog de vocês e vou ler e comentar sempre que possível!!!

Comer e Coçar é só começar disse...

Milena adorei o post! Já inclusive copiei e colei para futuras consultas "in loco". Já estou vendo que vou me acabar em Paris!
bjs
Dani Bispo

Karla Gê disse...

Milena!
Adorei o post!Muito útil para quem não fala francês e para quem fala tbm, pq nos cursinhos nem sempre essas palavras são ensinadas, daí a gente pega o cardápio e...faz cara de paisagem e acaba pedindo uma massa que tem nome igual em qqr lugar do mundo! hahahah
Acho que vou copiar sua lista no meu caderninho de viagem para não esquecer na hora de pedir!
Adoro canard, especialmente o magret e o coq au vin do Procope é delicioso!!!
Esse teu post deu até fome e uma saudade danada de Paris!
beijos